sexta-feira, 1 de abril de 2011

Corte de rabo e orelhas em cães

Durante muito tempo se considerou o corte de rabo (caudectomia) e de orelhas (conchectomia) de cães uma prática normal na medicina veterinária. Inclusive sendo necessária para enquadrar os animais dentro dos padrões de algumas raças. O motivo de tal prática era, na maioria das vezes, apenas estético. De uns tempos pra cá, tem havido uma preocupação cada vez maior com o bem estar animal. Com isso, começaram a surgir divergências entre os veterinários quanto à execução ou não dessas cirurgias. Muitos profissionais se negavam a fazer enquanto outros faziam e ainda indicavam tais procedimentos. A partir de fevereiro de 2008, o Conselho Federal de Medicina Veterinária (CFMV), órgão que regulamenta as práticas da profissão, determinou através da resolução nº877, no capítulo IV (www.cfmv.org.br), que algumas dessas cirurgias fossem proibidas e outras não recomendadas. Somente podem ser realizados estes procedimentos se houver necessidade clínica. Ou seja, animais com lesões graves no rabo, por exemplo, que tenham a indicação para uma amputação, podem ser submetidos à cirurgia normalmente, seguindo todos os padrões de anestesia e assepsia indicados pelo CFMV. O que se buscou evitar com essa resolução, foram as mutilações pura e simplesmente por razões estéticas. Desde então, os padrões de raça no Brasil passaram a enquadrar como ideal a cauda e as orelhas naturais dos cães. Os padrões de cada raça podem ser vistos no site da Confederação Brasileira de Cinofilia (www.cbkc.org). Agora os criadores e compradores de cães têm que se conscientizar que o animal pode ser puro e legítimo de uma raça mesmo tendo suas orelhas e rabos inteiros. O que importa é a procedência e a linhagem do filhote, e não esses “detalhes” na aparência. É bom deixar claro que juntamente com a conchectomia (corte de orelhas), ficam proibidas também a cordectomia, que se refere à retirada das cordas vocais dos animais, e a onicectomia, que consiste na retirada das unhas, normalmente realizada em felinos. A caudectomia (corte de rabo) deve ser evitada. Segue abaixo o trecho da Resolução 877 do CFMV que define as normas comentadas aqui.


RESOLUÇÃO Nº 877, DE 15 DE FEVEREIRO DE 2008


CAPÍTULO IV CIRURGIAS ESTÉTICAS MUTILANTES EM PEQUENOS ANIMAIS


Art. 7° Ficam proibidas as cirurgias consideradas desnecessárias ou que possam impedir a capacidade de expressão do comportamento natural da espécie, sendo permitidas apenas as cirurgias que atendam as indicações clínicas.

§ 1° São considerados procedimentos proibidos na prática médico-veterinária: conchectomia e cordectomia em cães e, onicectomia em felinos.

§ 2° A caudectomia é considerada um procedimento cirúrgico não recomendável na prática médico-veterinária.

Art. 8° Todos os procedimentos cirúrgicos devem ser realizados respeitando o previsto nos Artigos 2º e 3º desta Resolução.

Nenhum comentário:

Postar um comentário